O Jornalismo como ascensão do repórter cinematográfico

O repórter cinematográfico nem sempre foi chamado assim, antes do reconhecimento jornalístico, o profissional trilhou pelos holofotes do cinema documental.

Foi Dziga Vertov quem deu início ao cinema documental, com o método do “cine-olho” que valorizava mais os bastidores da produção do que o roteiro, valorizando a captação de imagens do cinegrafista ou “câmera man”.

Mas o profissional ganha maior destaque na mudança de sua atuação, do cinema para a televisão em 1970. E utilizando dos recursos cinematográficos, ele passa a ser requisitado para realizar gravações de programas e telejornais. Naquele momento o cinegrafista poderia ser confundido com o operador de câmera, porém ambas são profissões distintas.

Em 1980, na TV Gazeta com a produção do programa “Câmera Aberta” surge um novo método de fazer jornalismo, foi quando a profissão do repórter cinematográfico começa a se consolidar no meio jornalístico. E o profissional passou a ser requisitado para gravar cenas externas para os telejornais diários.